BNDES descarta risco de pressão inflacionária

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou ontem que há consenso no governo em relação à necessidade de calibrar a velocidade de crescimento e a estabilidade econômica. "Não vejo embate, vejo um consenso no governo", disse Coutinho.


05/02/2010 01h00

De acordo com ele, o Ministério da Fazenda já está retirando alguns estímulos fiscais aplicados durante a crise financeira internacional e a orientação dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva é de que o crescimento ocorra com estabilidade econômica. Para o presidente do BNDES, não há risco de pressão inflacionária a curto prazo. As indústrias, de acordo com ele, ainda possuem capacidade ociosa a ser ocupada. "Da nossa parte, o que nos incumbem no BNDES é ajudar a política anti-inflacionária no médio longo prazo, criando nova capacidade produtiva para prevenir gargalos de demanda, estamos trabalhando nesta direção."


Certificado Digital CDL



1

Dúvidas? Chame no WhatsApp